Comparando resultados

pescaria_no_pantanal

Quando o assunto é pescaria, comparar resultados é inevitável.  Pescadores sempre comentam sobre o desempenho de sua turma, comparando-o com o de outros pescadores, e sempre existe algum tipo de comentário do tipo “eles pegaram mais peixes que nós”, ou pode acontecer o contrário: “pegamos mais peixes que eles!”. Quais são os fatores que influenciam no resultado das pescarias? São tantas as variáveis que nós nos perderíamos em suposições, sem chegar a nenhuma conclusão lógica sobre o que é fator decisivo para o melhor resultado de uma pescaria. 

Antes de compararmos os resultados, será que podemos comparar o desempenho? Os pescadores que pegaram mais peixes não seriam aqueles que mais horas dedicaram à pescaria? Não seriam aqueles que mais investiram nos seus equipamentos de pesca, procurando suprir  as  suas necessidades com equipamentos adequados ao tipo de pescaria por eles praticada? Não basta ter bons equipamentos, é preciso saber tirar proveito daquilo que temos. Uma carretilha ou um molinete top de linha não pescam sozinhos, é necessário que o pescador conheça e pratique com seu equipamento para melhorar seu desempenho. 

Em uma pescaria com iscas artificiais, alem de um bom equipamento, a maneira com que nos posicionamos na hora dos arremessos pode fazer a diferença no resultado. Um mau posicionamento reduz pela metade a nossa capacidade de arremessar iscas. As melhores iscas artificiais não apresentarão bons resultados se não forem trabalhadas da forma correta. É preciso conhecer os seus vários trabalhos e aprender a utilizar corretamente cada uma delas, senão ao final de um dia de pescaria teremos nosso desempenho e resultados comprometidos, se comparados com um pescador que soube tirar melhor proveito de seu conhecimento e do equipamento de pesca .  

Alguns pescadores, além de investirem em equipamentos de boa qualidade, no melhoramento da técnica de arremesso, no trabalho das iscas, fazem um investimento que é fundamental para o sucesso de todos os pescadores. É o investimento em conhecimento.  Sejam usuários de iscas artificiais ou naturais, seja a pesca em rio, lago, mar, praia, embarcado ou desembarcado, enfim este investimento deve ser feito por todos os pescadores. O conhecimento das espécies ou da espécie preferida de cada pescador é o grande diferencial para o desempenho de cada um. Seja na internet, em revistas, livros, ou conversando com outros pescadores, devemos procurar sempre aprender mais sobre como pescar.  É claro que devemos filtrar muito das informações a que temos acesso, mas antes de viajar para uma pescaria procuremos nos informar. O clima também tem se mostrado bastante alterado nestes últimos tempos: podemos ter sucesso pescando em uma data em determinada região, e este resultado não se repetir se voltarmos ao mesmo local  na mesma data em outro ano.  Com o clima alterado dos últimos tempos os níveis de água e os resultados dificilmente serão os mesmos; o que foi bom no ano passado pode não ser neste ano. 

As pescarias são planejadas com meses, às vezes anos de antecedência. Estão envolvidos bilhetes aéreos, agendas pessoais, e principalmente a disponibilidade dos destinos de pesca, que são difíceis de mudar repentinamente. A instabilidade climática pode fazer com que o destino programado não esteja nas condições ideais. O que fazer?  

Se a pescaria for de barco hotel sempre há a possibilidade de mudar o itinerário, mesmo que envolva custos adicionais. Vale a pena também escutar os operadores do barco. Se o destino for uma pousada, procure saber das alternativas.  Às vezes uma situação pode ser desfavorável para certas espécies, mas boa para outras. Ainda se pode ter a opção de acampamentos organizados pelas pousadas ou postos avançados em rios próximos .  

Informe-se sempre sobre iscas e equipamento que estão dando melhor resultado para a situação em que ocorrerá a pescaria. Na sua próxima viagem de pesca, leve toda a informação que puder sobre sua pescaria. A informação melhora o desempenho, o resultado não pesa no bolso nem na bagagem, e deixa  o pescador mais feliz.

Fonte: Guias de Pesca










Mais notícias